• Publicado em: 19/09/2019
  • Por: superadmin
  • Na categoria:
    Medicina preventiva
    Saúde


Nome dado ao conjunto de cânceres que afetam o sistema imunológico, os linfomas costumam se apresentar em forma de caroço – conhecido como ‘ínguas’ – e, geralmente, manifestam-se nas regiões do pescoço, das axilas e virilha. Eles ocorrem quando o linfócito (glóbulo branco) se transforma em uma ‘célula maligna’, crescendo de modo descontrolado e criando outras células idênticas por todo organismo.

Há diversos tipos de linfomas, sendo que cada um possui comportamento e grau de agressividade diferente. Eles podem ser divididos em dois grandes grupos:

Linfoma de Hodgkin (LH): Ocorre em um tipo de célula linfoide conhecido como célula de Reed-Sternberge.

Linfoma não-Hodgkin (LNH): São mais comuns e podem surgir em outras células do sistema imunológico.

Causas

Alguns linfomas estão relacionados a infecções crônicas, que podem predispor à mutação das células linfáticas. Outros podem ocorrer devido a fatores ambientais, como a exposição a produtos químicos. Pacientes com deficiências imunológicas, como a AIDS e uso de drogas imunossupressoras, também estão mais suscetíveis à doença. Na maioria dos casos, no entanto, não há causa definida, mas os linfomas ocorrem mais em idosos.

Principais sintomas

  • Febre (vespertina);
  • Surgimento de ínguas sem motivo específico;
  • Perda de peso;
  • Perda de apetite;
  • Coceira na pele;
  • Fadiga;
  • Sudorese noturna anormal.

Tratamento

O tratamento mais usado é a quimioterapia, complementada, em alguns casos, com a radioterapia. A quimioterapia é mais eficaz no linfoma do que nos demais tumores sólidos, como câncer de pulmão e de intestino.

Os anticorpos monoclonais, proteínas presentes no sistema de defesa do organismo alteradas em laboratório, também podem ser utilizados no tratamento associados à quimioterapia.


Fonte:

Com informações de: Drauzio Varella, Ministério da Saúde e Revista Saúde.